E uma chaleira também.

Quando crescer, não quero mais ser médica, dentista ou professora. Muito menos estilista, que é o que eu dizia pra todo mundo, com a minha mania de sempre querer ser direrente. Quero ser uma mulher que tem gatos. Mulheres de gatos são independentes, e tão auto-suficientes que tem bichinhos que não estão nem aí pra ninguém. Quero ser uma mulher que tem jardim. Mesmo esquecendo de molhar as plantas quando meu pai viaja. Ter um jardim é, no mínimo, charmoso. Vai ter que ter alguma florzinha amarela e alguma coisinha laranja. E o quintal vai ter luzinhas pequenas e espalhadas, e uma cadeira grande de madeira com almofadas coloridas vai me esperar todas as noites. Quero ser uma mulher de cortinas. Porque no vento, as persianas fazem barulho. E as cortinas dançam.

Anúncios

2 Responses to “E uma chaleira também.”


  1. 2 Celma outubro 14, 2009 às 1:13 pm

    Tá faltando gente nessa estória!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




O que tem aqui

Diálogos, monólogos, conversas, crônicas, histórias malucas e talvez, quem sabe, até reais, de uma cabeça bem esquisita.

%d blogueiros gostam disto: