De papel passado.

E então? Como vamos fazer isso?
Só nos finais de semana? Só quando tiver um feriado? Quando não tiver mais nada pra fazer? Quando der na telha?
E a gente diz o que pros outros? Que tem alguém? Que somos amigos? Que não é nada sério? Não dizemos nada?
E as conversinhas de melar a cueca? A gente pula essa parte? Fingimos que elas são de verdade? Deixamos pra outra hora?
E se der uma paranóia? A gente pode gritar? Fugimos até passar? Não fugimos pra ver o que acontece?
E o que tá permitido? Cinema pode? Mãos dadas? Beijo na testa? Levar em casa? Pagar a conta? Ligar dizendo que chegou bem? Contar o dia? Reclamar da vida? Esquentar no frio? Esquecer do mundo? Recusar convites?
E se você encontrar alguém? Eu me importo? Deixo você saber que eu me importo? Escondo até de mim que me importo?
E então? Onde eu assino?

Anúncios

1 Response to “De papel passado.”


  1. 1 Camila janeiro 19, 2010 às 3:14 pm

    Dois belíssimos textos! Me envolvi…
    Parabéns Luiza! 🙂
    Bjos


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




O que tem aqui

Diálogos, monólogos, conversas, crônicas, histórias malucas e talvez, quem sabe, até reais, de uma cabeça bem esquisita.

%d blogueiros gostam disto: