Um título triste.

A gente pensando no que fazer no carnaval. Eu pensando qual é o meu problema. As meninas reclamando do cabelo. Todo mundo reclamando do preço da cerveja, da cor do esmalte que não ficou bom. Reparando na roupa da moça da mesa ao lado. Dizendo o tempo todo que não sabe mais o que fazer. Se chove, é uma merda. E se ficar nesse calor, é um inferno. Ta todo mundo puto. Porque ta sem grana pra pagar a dívida inútil daquele sapato que nunca usou, porque cancelaram o show do final de semana, porque ele não ligou, porque deixaram a toalha fora do lugar, porque… porque mesmo? Já nem sei. Já nem sei porque ta todo mundo reclamando, nem me lembro porque foi mesmo que nós brigamos, não faço ideia do que eles estão dizendo, mas na dúvida, eu reclamo junto. E aí chega um dia desses pra esfregar na nossa cara que a gente esquece o tempo todo das coisas que são mesmo importantes. E quando ela disse que é “extremamente inaceitável que o mundo não pare quando a gente perde alguém“, eu olho pros lados e não consigo acreditar que o mundo realmente não parou. Que ainda existe gente que tá puta com alguma merda, que todo mundo ainda ta reclamando de qualquer coisa porque não sabe fazer mais nada, que a gente continua recusando abraços, sorrisos, continua sem dar bom dia, sem pedir desculpas e sem perdoar. E isso não é tudo o que eu consigo fazer pra me livrar de um dia tão pesado. Mas foi só o que eu fiz. Um texto.

Por favor. Parem o mundo.

Anúncios

4 Responses to “Um título triste.”


  1. 1 Luise janeiro 28, 2010 às 1:13 am

    Minhas duas pernas, meus dois braços, meus anos de estudos, minha faculdade, as experiências vividas, tudo que se aprende…de nada serve.
    Meus braços não curam doenças, não saram machucados, não tiram o sofrimento. Minhas pernas não prendem ninguém nesse mundo. Nem a faculdade, nem as experiências e nem tudo que eu aprendi é capaz de transmitir esperança e por mais que se esforcem muito, é tudo em vão.
    Ela simplesmente não existe! E não adianta o pesar, ele também não cura dor.
    Me sinto uma inútil.

    Parem o mundo, por favor.

  2. 2 Vanessa janeiro 28, 2010 às 10:43 am

    Lindinhas,

    Tão vendo esse sol brilhando só de sacanagem? O recado é justamente esse: dias de vitória e dias de derrota se alternam. Nada é eterno, tudo sempre vai mudar. Suas braços, suas pernas, seus sorrisos, seus estudos e tudo aquilo que somos (e que ninguém pode ser por nós), nada é em vão. Eles servem pra muita coisa e em muitos momentos ajudaram muita gente. Que a dor da perda não as faça esquecer as alegrias que vivemos. O sol vai continuar brilhando e novos dias de vitórias e derrotas virão. Quem tiver amigos verdadeiros não vai ficar no chão. Mas cada coisa no seu tempo. Na hora certa, estendam a mão pra levantar.

    Mundo, não pare, por favor.

  3. 3 Vanessa Torres janeiro 28, 2010 às 10:44 am

    Esqueci de dizer: todos os textos são lindos. 🙂

  4. 4 fabi janeiro 28, 2010 às 11:25 am

    eu não consigo dizer nada….


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




O que tem aqui

Diálogos, monólogos, conversas, crônicas, histórias malucas e talvez, quem sabe, até reais, de uma cabeça bem esquisita.

%d blogueiros gostam disto: