Merthiolate não arde mesmo?

Não é com orgulho e nem com vontade que vou dizer isso: você não me doeu.

Eu me ralei inteira, tô cheia de casquinha e com pressa em arrancar todas. Mas vou repetir. Você não me doeu. Não sinto doer você, nossas conversas, nossos silêncios, nossas mãos, sua barba, nossas piadas ou coisa parecida. Bom, não é?  Não? Não.

Você não me doeu, mas mesmo assim dói. Dói e não é dor que dá ouvindo alguma das 3567 músicas que tem a ver com a gente. Não é dor que dá na hora que passa o filme que você disse que eu tinha que ver de qualquer jeito. Não é dor que dá quando alguém diz alguma coisa que eu já sabia, porque foi você que me contou.

Já que você não me dói, a gente podia ser do tipo que “tudo bem”. Tudo bem, a gente pode ir tomar uma cerveja. Tudo bem, a gente pode fazer qualquer uma das coisas que planejamos e que não aconteceram ou fazer de novo as que a gente não cansava de fazer. E se não sair como o planejado e acabar onde não deveria, tudo bem também. Mas não tá tudo bem, porque dói.

E se não é você que me dói, só tenho uma conclusão: quem me dói sou eu.

Anúncios

0 Responses to “Merthiolate não arde mesmo?”



  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




O que tem aqui

Diálogos, monólogos, conversas, crônicas, histórias malucas e talvez, quem sabe, até reais, de uma cabeça bem esquisita.

%d blogueiros gostam disto: