Uma formiguinha.

Carregando um montão de coisas em direção ao ponto de ônibus, vejo três ônibus iguais passando. Perdi, três de uma vez. Mas acabo de sair da yoga e estou muito tranquila. Somente uma indignação mental e tudo bem, vou pra fila.

Na minha frente, duas pessoas juntas. Uma senhora e uma moça.
O onibus delas vem, para muito longe por pura sacanagem do motorista, mas elas nem uma indignação mental tiveram. Não correram, resolveram esperar pelo próximo. E a moça sai correndo para cumprimentar um menino que está fechando uma loja em frente, gritando “amigoooo!”. Depois de um tempinho, vem o menino e dá um chocolate pra moça. Ela se enche toda e admira o chocolate, “que delicia”.

Eu sorrio, ela olha pra mim, e depois diz à senhora: mas veja só que lindas estão as pessoas. Em dois minutos, me colocam nos ares. “Olha esse cabelo, que lindos cachos você tem, muito bonita você, e esse sotaque, de onde você vem? Mas que beleza, que alegria que você esteja tão feliz aqui”.
Sorrisos e sorrisos, quero abraçar as duas por tanta gentileza.

O menino da lojinha se vai de vez e cumprimenta a moça outra vez. Ela, de longe, comenta: “que lindo, ele. Olha esse cabelo”.

Meu ônibus vem, o delas não. Me abraçam e desejam muita, muita, sorte.
Vou embora arrepiada. E a verdade por trás de tudo isso é:

Numa terça-feira a noite, cruzei com uma dessas pessoas que nos dão vontade de ser alguém melhor.
Quis ser, pelo menos um pouquinho, como ela.
Uma moça pequenininha, gordinha, cabelinho liso e curto, com síndrome de down. Junto com a mãe, que traz escrito na testa “aprendi a ser mais feliz”.

Anúncios

10 Responses to “Uma formiguinha.”


  1. 1 Priscila Perovano novembro 16, 2011 às 3:00 pm

    Mesmo nao vivendo isso é possível ter a mesma sensação que você teve.

    Mais um motivo pra fazer meu dia de hoje ser mais feliz. Mais um texto lindo.

  2. 2 Luise novembro 16, 2011 às 3:22 pm

    Delícia de viver.
    Me arrepiei!

  3. 4 Mariana novembro 16, 2011 às 6:11 pm

    Adoro encontros assim. Faz a gente ver que quem tem problemas não é quem nasceu com down, mas nós mesmos, que escondemos o sorriso e dizemos não à felicidade por qualquer motivo besta!

    Lindo texto como sempre, Kits!

  4. 6 Wagner novembro 16, 2011 às 6:28 pm

    Sério mesmo? Como você é zen. Eu não consigo. Flao logo um monte de palavrão para o motorista dos ônibus, outros para o sistema de transporte e os que sobram para a falta de fiscalização. Depois desse desabafo não rola sorriso pra ninguém.
    Quem sabe eu chegue lá.
    Beijos! Vc é 10.

  5. 7 Celma novembro 16, 2011 às 11:07 pm

    Uma formiguinha muito trabalhadeira e consciente essa do texto,né?Mas vamos ao que interessa:é muito bom encontrar pessoas boas,com boas energias,parece as vezes, que elas são colocadas em nosso caminho para que realmente a gente se sinta assim:feliz!!São momentos mágicos.

  6. 8 Lara novembro 17, 2011 às 8:13 pm

    rupiei de verdade por aqui 🙂

  7. 9 Sergio novembro 18, 2011 às 6:01 pm

    Escorreu aqui, pelo cantinho olho…linda passagem…

  8. 10 Brunno Lopez novembro 22, 2011 às 8:03 am

    Acho que essa foi a melhor coisa que já li às 6 horas e 3 minutos de uma terça-feira.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s





%d blogueiros gostam disto: